Buscar

Entrando no mundo das antenas

Antenas estão em todo lugar. Se você quer começar a ter as primeiras noções, recomendo continuar.



Muita gente tem muito medo de fazer circuitos que contenha antenas. Evita ao máximo. Eu estou começando a perder o medo. Vamos confessar:


Projetar um circuito com antena pode não ser das coisas mais triviais.

Acho que o primeiro passo para perder o receio é falar um pouco sobre alguns conceitos que as rodeiam.


Frequência

Quando falamos de antenas não tem como não ouvir falar de frequência.


No contexo, frequência está relacionada com a velocidade que um campos magnéticos vibram.


Antenas tem como característica a capacidade de transmitir ou receber informações mais eficientemente em determinadas faixas de frequências.


Ainda mais, o tamanho físico de uma antena segue o valor da frequência em que operam.


Ganho

Esse atributo está relacionado com a uma direção. O ganho de uma antena está relacionado com quanta potência essa antena transmite em uma direção se comparada a uma antena isotrópica, seja que transmite uniformemente em todas as direções.


A unidade de ganho é dBi. O "i" se refere exatamente a isotrópica.


Impedância

A relação entre corrente e tensão também numa antena é chamada de impedância.


Existe o conceito muito importante: o casamento de impedâncias. Ele consiste na equalização entre impedância da antena e dos circuitos que a ela estão conectados.


Sistemas com impedância "descasada", tem mais perdas de energia para transmitir e para receber sinais.


Perdas resultam em diminuição de alcance e até mesmo falhas no circuito.


Existem alguns valores guia (mas não regra) de impedância padronizados, como por exemplo:


  • 50 ohms utilizado na transmissão de dados;

  • 75 ohms presente em sistemas de video.

Basta saber qual a impedância da sua antena e do seu circuito, fazer com que sejam iguais, ou seja, casadas, e pronto.


Quer saber mais de antena? Deixa um like!

19 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo